Publicado em 2022-04-29 17:18:11

Araraquara volta a registrar saldo negativo de contratações em março

Análise do Núcleo de Economia do Sincomercio aponta que, pelo terceiro ano consecutivo, a cidade registrou maior número de desligamentos do que admissões no mês que encerra o primeiro trimestre

 

         Araraquara, 29 de abril de 2022 – Em março, o mercado de trabalho formal araraquarense registrou redução do número de trabalhadores em atividade. De acordo com a análise do Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, tendo como base os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), o município perdeu 106 postos de trabalho formal, resultado de 3.394 admissões e de 3.500 desligamentos.

         A celebração de novos contratos formais de trabalho teve, em março, uma redução de 15,1% em relação a fevereiro, enquanto o encerramento de contratos vigentes acelerou em 14,8%.

         João Delarissa, economista da instituição, aponta o resultado como uma retração do mercado. “Após um resultado bastante favorável em fevereiro, quando a cidade teve o terceiro maior saldo positivo de contratações da série histórica do Novo Caged (948), as admissões desaceleraram em março, enquanto o nível de demissões foi mais forte. Dessa forma, encerramos o mês com uma considerável diminuição na geração de empregos em Araraquara”.

 

Evolução do saldo de movimentação do emprego formal em Araraquara – janeiro de 2020 a março de 2022

Fonte/Elaboração: Novo Caged – Ministério do Trabalho

 

O saldo de contratações foi positivo em apenas um dos cinco grandes setores da economia. A Indústria teve expansão de 1,43% dos trabalhadores em atividade – foram 263 vagas criadas em março, decorrentes de 769 admissões e 506 desligamentos. Na outra ponta, foram fechados 256 postos de trabalho no setor de Serviços, resultado das 1.417 admissões e dos 1.673 desligamentos, que foram responsáveis por uma retração de -0,65% da força de trabalho desse setor.

         Na sequência, Comércio, Construção e Agropecuária apresentaram saldo negativo de contratações, com 63, 28 e 22 vagas encerradas em março, respectivamente. O Comércio admitiu 737 e desligou 800 funcionários (-0,41%), na Construção, foram 433 admissões e 461 desligamentos (-0,61%) e a Agropecuária contratou 38 funcionários e dispensou outros 60 (-2,37%).

A apuração mais detalhada dos resultados de março revela que as atividades de limpeza foram destaque tanto no número de contratações (+183) como também nos desligamentos (-349) e no saldo de movimentação (-166), ficando em primeiro lugar nas três análises. Assim como em março, em fevereiro, as atividades de limpeza em prédios e domicílios também registraram o maior número de trabalhadores admitidos (+335) e desligados (-228) e o mesmo vem acontecendo consecutivamente desde setembro de 2021.

Essas atividades de limpeza têm um peso relevante no total de trabalhadores ativos, tanto na cidade de Araraquara, como nos dados agregados do estado de São Paulo e também no Brasil, figurando sempre entre os primeiros lugares no ranking de contratações e desligamentos. “A alta rotatividade se deve às características intrínsecas às atividades de serviços domésticos, que não exigem altos níveis de escolaridade e capacitação profissional, oferecendo baixas barreiras à entrada de trabalhadores nesse mercado e gerando excesso de mão-de-obra disponível, o que estimula a informalidade do setor e a manutenção de baixos salários”, analisa Delarissa.

 

Atividades com maior saldo negativo absoluto de contratações em Araraquara – março de 2022

Fonte/Elaboração: Novo Caged – Ministério do Trabalho