Publicado em 2019-08-26 13:32:13

Número de empresas varejistas sofre redução em Araraquara em 2018

Estudo do Sincomercio Araraquara revela queda de 26,5% no número de estabelecimentos no ano de 2018, em relação a 2017


O Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, em levantamento elaborado a partir de dados do sistema cadastral da entidade, divulga a quinta edição do mapeamento do comércio varejista. O estudo analisa as variações ocorridas nos principais corredores comerciais da cidade, além de revisar o nível de concentração do varejo pelas principais ruas e avenidas de Araraquara.

Nesta edição, o universo analisado é de 4.013 empresas do varejo, sendo que em 2017 esse número atingia 5.464. Após três anos de abertura de novos empreendimentos, com crescimento de 24,2% em 2015, 51,6% em 2016 e 4,5% em 2017, o ano de 2018 foi o primeiro desta série histórica a registrar redução no número total de lojas em funcionamento. A queda foi de 26,5% em relação a 2017.

Variação dos estabelecimentos por bairro e total – 2014 a 2018

Fonte/Elaboração: Sincomercio Araraquara

Por um lado, entre os anos de 2014 e 2017, a própria crise econômica foi determinante para a elevação no ritmo de novos estabelecimentos comerciais, uma vez que muitas pessoas que perderam seus empregos encontraram no empreendedorismo uma forma de assegurar sua fonte de renda. Porém, grande parte desses pequenos negócios não possuem o planejamento e conhecimento adequados para gestão do negócio, o que ajuda a explicar o fechamento de cerca de 1.450 empresas em 2018.

De outra parte, o próprio orçamento reduzido desse tipo de empreendimento não permite a sua instalação na região central e acaba gerando uma migração para bairros periféricos, promovendo a expansão desses corredores comerciais mais distantes do centro. A despeito de todos os bairros terem apresentado variação negativa no período analisado, a região central fechou mais empreendimentos em relação às outras regiões. Para exemplificar, enquanto no centro houve queda de 26,2% no total de lojas em funcionamento, a redução na região da Av. Bento de Abreu e proximidades foi de apenas 2%.

Apesar da descentralização que vem sendo observada desde o início deste mapeamento, em 2014, ainda é expressiva a participação da região central no comércio varejista, responsável por aproximadamente 21,5% dos 4.013 estabelecimentos ativos na cidade. Na comparação com 2017, essa participação se manteve estável, entretanto, ela já foi maior, chegando a representar 35% do varejo araraquarense em 2014.

A preferência pelos corredores centrais está associada, sobretudo, à ótima infraestrutura já existente na região, como também ao intenso fluxo de pessoas que circulam por esses pontos, ao aumento de exposição das lojas, ao contato com os consumidores e às possibilidades de venda. Contudo, os custos de locação desses imóveis podem desfavorecer a instalação de micro e pequenos empreendimentos. A dificuldade de estacionamento também tem representado um entrave para as lojas, já que os consumidores preferem locais de mais fácil acesso, e também cada vez mais optam pela praticidade e economia de tempo, buscando locais mais próximos de suas residências.

O que ocorre em Araraquara é uma tendência que se constata em diversas cidades do Brasil. O consumidor está cada vez mais exigente e a concorrência cada vez maior, fazendo com que o comerciante precise utilizar toda sua capacidade para manter-se no mercado. Dessa forma, uma aproximação maior ao consumidor, levando os produtos a locais mais próximos dele, acaba por contemplar as necessidades práticas do dia a dia.

O mais importante é lembrar que todo empreendimento necessita cada vez mais de planejamento e atenção às tendências comportamentais do seu consumidor. A alta mortalidade dos empreendimentos comerciais em Araraquara tem íntima relação com a falta desses atributos. Em busca do aprimoramento da competitividade do comércio varejista local, o Sincomercio Araraquara realizou durante o primeiro semestre de 2019 o projeto “Varejo Expert” com objetivo de trazer mais especialização para os empresários, gerando melhores oportunidades e foco no desenvolvimento econômico e comercial da região.