Publicado em 2018-05-29 15:56:19

Paralisação pode acarretar perdas de vendas para varejo da região de Araraquara

Paralisação pode acarretar perdas de vendas de até R$ 50,3 milhões por dia para o varejo da região de Araraquara
 
Sincomercio Araraquara estima que a greve afetará datas importantes para o comércio, como o Dia dos Namorados e vendas de produtos para a Copa do Mundo

As paralisações dos caminhoneiros em protesto contra o aumento do preço dos combustíveis têm refletido no setor de abastecimento em todo Brasil. Segundo estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), o impacto para o varejo na região de Araraquara pode acarretar perdas de vendas de até R$ 50,3 milhões por dia. No cenário estadual, o prejuízo diário pode atingir R$ 1,8 bilhão e no nacional, R$ 5,4 bilhões.

 A crise tem prejudicado empresários e consumidores, que sofrem com a dificuldade de abastecimento para atender a demanda da população, a qual, preocupada  com as notícias, corre para os principais pontos de venda a fim de garantir o seu estoque. O prejuízo nas vendas dos bens não duráveis como alimentos, remédios e gasolina pode ser visto como um primeiro alarme. No entanto, se essa crise persistir, o problema pode se estender para as vendas de bens duráveis como veículos, eletrodomésticos e materiais de construção, gerando uma crise geral para o setor.

 De acordo com o Núcleo de Economia do Sincomercio, a paralisação afetará ainda datas importantes para o comércio, como o Dia dos Namorados e as próprias vendas de produtos para a Copa do Mundo. “Mesmo que a greve tenha fim nessa semana, serão necessários alguns dias para que o abastecimento volte ao normal e a população retome suas atividades habituais. Os prejuízos já causados ao setor devem se estender até o mês de junho” explica Délis Magalhães, economista do Sincomercio.