Publicado em 2018-04-04 12:03:44

Índice de Confiança do Consumidor mostra que homens estão mais otimistas

Índice de Confiança do Consumidor de Araraquara mostra que homens estão mais otimistas

A explicação pode estar no fato da renda média masculina ser superior à feminina no município, o que gera maior confiança financeira

  O público masculino de Araraquara demonstrou mais otimismo nas análises do Índice de Confiança do Consumidor (ICC), segundo o levantamento feito pelo Núcleo de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomércio), com base na série histórica dos últimos doze meses. O ICC leva em consideração o cálculo do Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) e o Índice de Condições Econômicas Atuais (ICEA).

Índice de Confiança do Consumidor (ICC) – Doze Meses

Em todos os meses apresentados, os homens demonstraram ter maior confiança na economia do que as mulheres. De acordo com Délis Magalhães, economista do Sincomércio, a explicação para o resultado é o fato dos homens possuírem uma renda média superior a das mulheres na cidade, gerando uma segurança financeira maior. “Apesar das conquistas em relação à inserção da mulher no mercado de trabalho, ainda há um sensação de instabilidade do público feminino quanto à permanência no emprego diante das oscilações econômicas”, diz a economista.

 A boa notícia é que em relação ao primeiro trimestre deste ano, ambos os sexos apresentaram um aumento da confiança. Na perspectiva individual, o Índice de Expectativas do Consumidor é o que melhor traduz o otimismo em relação ao futuro. Neste resultado, os homens também apresentaram melhores números no período de janeiro a março, principalmente se comparados ao ano de 2017.

 Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) – Doze Meses

Para Délis, os dados mostram que o consumidor no geral tem se mostrado mais confiante em 2018, com um aumento de 16,8% no ICC entre abril de 2017 e março de 2018.  “Com expectativas melhores, o consumo tende a aumentar gradualmente. Porém, é importante que os empresários estejam atentos às mudanças no perfil do consumidor e nas novas necessidades da população”, explica.