Publicado em 2017-12-29 19:10:15

Araraquara registra saldo negativo de emprego em novembro

Resultado foi influenciado principalmente pelo fechamento de vagas na Indústria e pela baixa procura no setor de serviços

 O saldo de empregos emnovembro foi negativo,com o fechamento de390 postos de trabalho com carteira assinada na cidade. O resultado representa um total de 1.863 admissões e 2.253 demissões, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apurados pelo Núcleo de Economia do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio).Os setores que mais influenciaram nos números foram a Indústria e Serviços.

 Segundo a economista Délis Magalhães, do Núcleo de Economia do Sincomercio, o resultado desfavorável foi motivado, em grande parte, pelo encerramento das atividades da tradicional Usina Tamoio e a consequente demissão em massa de seus funcionários. Além disso, a empresa continuou fechando postos, em escala menor, devido ao fim das safras. Com 180 postos de trabalho a menos, o setor de serviços também contribuiu com a retração.

 Os números mostram que consumidor segue elencando gastos prioritários e aqueles que são considerados supérfluos ou secundários ficam para depois. “Nesse sentido, hospedagem, alimentação, reparação e manutenção estão entre as áreas mais impactadas”, afirma Délis.

 Apesar do desempenho negativo na indústriae agropecuária, ambos apresentaram melhor resultado na comparação anual, com aumento de 2,5% e 42,3% no banco de trabalhadores, respectivamente. O comércio apresentou pequena queda de 0,4%, indicando certa estabilidade e o segmento mais prejudicado na comparação com o mesmo período do ano passado foi a construção civil, com queda de 18,3%.

 Resultado positivo

 Na contramão dos números gerais divulgados pelo Caged, o comércio varejista de Araraquara registrou em novembro a abertura de 96 postos de trabalho, melhor resultado desde novembro de 2016. O desempenho foi influenciado principalmente pelo segmento de supermercados e lojas de vestuário, tecido e calçados.

 “Esses setores têm um forte apelo no final do ano, devido às compras de presentes e preparação das ceias de Natal e Ano Novo”, explica a economista.

 GRÁFICO 1 – Variação do Número de Postos de Trabalho em Novembro de 2017

 

Fonte: Elaboração Sincomércio com base em dados do CAGED.

 GRÁFICO 2 – Estoque de Trabalhadores Formais em Novembro de 2016 e 2017