Informações de Araraquara

Araraquara é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo. Ela foi considerada a 17ª cidade brasileira no ranking IFDM-FIRJAN-2012, que leva em conta os critérios de Emprego & Renda, Educação e Saúde, referentes ao ano de 2010. Localiza-se a 21º47'40" de latitude sul e 48º10'32" de longitude oeste, a uma altitude de 664 metros. Sua população estimada em 2012 é de 212 617 habitantes, sendo assim a 17ª cidade do interior paulista em número de habitantes residentes. O município está conurbado com Américo Brasiliense e possui uma microrregião de 15 cidades.

Araraquara possui um campus da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" (UNESP) que subdivide-se em: Faculdade de Ciências e Letras (com os cursos de Administração Pública, Ciências Econômicas, Ciências Sociais, Letras e Pedagogia), Faculdade de Ciências Farmacêuticas (curso de Farmácia-Bioquímica), Instituto de Química (curso de Química em três modalidades: Bacharelado em Química, Bacharelado em Química Tecnológica e Licenciatura em Química) a Faculdade de Odontologia. A UNIP, UNIARA, Faculdades Logatti, Instituto Savonitti e também uma unidade do CEFET - Centro Federal de Educação Tecnológica também estão instaladas na cidade.

O fundador de Araraquara, Pedro José Neto, nasceu no ano de 1760 em Nossa Senhora da Piedade de Inhomerim, Bispado do Rio de Janeiro. Em 1780 com vinte anos de idade, mudou-se para a freguesia de Piedade da Borda do Campo, hoje Barbacena, Minas Gerais. Nessa freguesia, a 12 de Agosto de 1784, casou-se com Ignácia Maria, também fluminense. Teve com ela 02 filhos, José da Silva Neto e Joaquim Ferreira Neto que faleceram em Araraquara.

Em 1787, Pedro José Neto e sua família mudaram-se para Itu, São Paulo. Em 1790 devido a problemas políticos locais, a Justiça de Itu, por seu Capitão-Mór Vicente Taques Góis e Aranha, condenou-o ao desterro na freguesia de Piracicaba, São Paulo, tendo ele conseguido fugir para os campos de Araraquara.

Com seus filhos construiu uma capelinha dedicada a São Bento (padroeiro) nos Campos de Aracoara (lugar onde mora a luz do dia, a "Morada do Sol") na região habitada pelos indígenas da tribo Guayanás.

Fixando-se nos Campos de Araraquara estabeleceu posse das regiões do Ouro, Rancho Queimado, Cruzes, Lageado, Cambuy, Bonfim e Monte Alegre.

A 22 de agosto de 1817 foi criada a Freguesia de São Bento de Araraquara pela Resolução n° 32 - Reino-Resolução de Consciência e Ordens. A 30 de outubro de 1817, a Freguesia foi elevada à categoria de Distrito, e a 10 de julho de 1832 passou à de Município, o qual foi instalado a 24 de agosto de 1833.

A 20 de abril de 1866 passa à categoria de Comarca pela Lei Provincial n° 61 e a 6 de fevereiro de 1889 é elevada à categoria de Cidade, pela lei provincial de n° 7.

Do ponto de vista histórico-econômico, na 1ª metade do século XIX, as grandes propriedades rurais, características deste século, ainda não tinham sido atingidas pelo surto cafeeiro. Plantava-se a cana-de-açúcar, milho, ao lado de outros cereais, o fumo e o algodão. Os rebanhos eram constituídos em sua maioria por suínos e bovinos. Maior parte da produção servia para abastecer as "Casas de Secos e Molhados". Por volta de 1850, o plantação de café substitui a de cana e cereais, tornando-se o produto de maior importância na economia local.

Em 1885, a chegada da ferrovia estimula o crescimento da cidade, que foi considerada a "Cidade Mais Limpa das Três Américas", além de ser a primeira no interior a ser servida por linhas de ônibus elétricos (trólebus).

Em 1897 ocorre um episódio de coronelismo conhecido como Linchamento dos Britos. Este episódio influenciará na política local de início do século XX. Na década de 1930, com a vitória no pleito municipal de Bento de Abreu Sampaio Vidal e seu grupo, o poder local passa a investir na construção de praças, do Museu Municipal, arborização de ruas, visando construir outra representação sobre a cidade, que não a veicule ao episódio do linchamento.

Fato notável é a visita de Jean-Paul Sartre à cidade em 1960 para promover uma conferência no antigo Instituto Isolado de Ensino Superior - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, atualmente integrada à UNESP. A conferência possui uma publicação bilíngue pela Editora UNESP, em 2005, chamada Sartre no Brasil: a conferência de Araraquara.


Marcos na história de Araraquara:
Ferrovia EFA - Estrada de Ferro Araraquara;
Linchamento dos Britos;
Sistema Trolébus;
Rua Voluntários da Pátria;
AFE - Associação Ferroviária de Esportes;
Estádio Doutor Adhemar de Barros (Conhecido como Estádio da Fonte Luminosa ou atualmente Arena da Fonte).

Araraquara é um importante pólo regional, que atrai consumidores de dezenas de outras cidades, possui um movimentado e sólido atacado e varejo além de uma gama enorme de empresas prestadoras de serviços. Atualmente a cidade possui 6.158 estabelecimentos, dos quais 2.610 são do setor comercial (42,38%). Da mesma forma, o Comércio araraquarense possui 17.209 empregados formais, isto é, 22,35% de todo mercado de trabalho formal do município (Dados da RAIS-2011).

A cidade conta com vários corredores comerciais e também com dois Shoppings Center:
Shopping Jaraguá com aproximadamente 110 lojas em operação, é o maior e mais completo Shopping Center da Região Adminsitrativa Central;
Shopping Lupo agradável shopping na região central onde funcionava a antiga fábrica de meias Lupo. O relógio é um de seus principais atrativos.
Tropical Shopping (atualmente desativado).
Um Novo Shopping Center está projetado para ser construído no local do CEAR (Centro de Eventos de Araraquara e Região), com 27 mil m² e 172 lojas, com "previsão" de inauguração para o segundo semestre de 2012. Já em 2011 será construído o Hotel Ibis da rede Accor Para a segunda fase do complexo será executada a construção de dois centros comerciais com 15 andares cada, serão investidos no total R$ 350 milhões pela FUNCEF (Fundação dos Economiários Federais).

Espaços culturais
Casa da Cultura "Luiz Antônio Martinez Corrêa”
Palacete da Esplanada das Rosas
Arquivo Público Histórico "Prof. Rodolpho Telarolli”
Espaço Cultural Paulo Mascia

Museus
Museu Histórico e Pedagógico "Voluntários da Pátria”
Museu Ferroviário "Francisco Aureliano de Araújo”
Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara
Museu da Imagem e do Som "Maestro José Tescari”
Museu do Futebol e dos Esportes
Museu do Tróleibus Araraquara

Patrimônio histórico
Com quase 200 anos de história, Araraquara tem várias contruções antigas, mas não há um mapeamento definido dos imóveis. O último imóvel considerado histórico e protegido por lei municipal aconteceu em 2005. Segundo a Coordenadoria de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural, há 28 imóveis tombados, sendo oito particulares.

Teatro
Teatro Municipal de Araraquara, um dos mais modernos do interior com capacidade para 460 espectadores.
Teatro "Wallace Leal Valentin Rodrigues"
Teatro de Arena "Prefeito Benedito de Oliveira" é dotado de excelente infra-estrutura, e possui capacidade para acomodar 3 mil pessoas.

Música
Orquestra Filarmônica Experimental Uniara.

Bibliotecas
Biblioteca Municipal Mario de Andrade.
Biblioteca Municipal Infantil Monteiro Lobato.

Centro de EventosCentro internacional de Convenções "Nelson Barbieri"

Parques
Fonte Luminosa
Parque do Basalto
Parque Infantil
Parque Pinheirinho
Bosque do Botânico
Bosque D.E.R

Araraquara tem grande tradição esportiva, principalmente no futebol com a Associação Ferroviária de Esportes - AFE e, no basquete, com o antigo time do clube 22 de Agosto e mais atualmente com o UNIARA/Fundesport que agora chama-se Araraquara/Lupo. A cidade também investe em outras modalidades. Esse sucesso se reflete nas várias conquistas de seus atletas e nos títulos dos jogos regionais.
A cidade conta também com uma Arena Multi-uso, a Arena da Fonte com capacidade para mais de 20 mil pessoas, recebendo todos os anos grandes clubes do futebol e campeonatos como o Paulistão e o Brasileirão.